domingo, 28 de outubro de 2012

Simplesmente há pessoas com muita lata. Têm lata para dar e vender. Não sei como é que ainda não a vendem, tão interesseiras que são? Deve ser por já ser algo tão comum e banal entre as pessoas. Juro que não compreendo como é que conseguem ser assim. Têm inteligência tal que nem conseguem perceber que afugentam as boas pessoas? Será que não sabem que já não enganam ninguém (ou quase ninguém) escondidas nos seus sorrisinhos amarelos e na sua boa disposição duvidosa? Secalhar sou eu que vejo mal nisso tudo. Têm o condão de se armarem em espertas, meterem-se na vida dos outros, e depois somos nós que temos que sorrir amargamente e suster a respiração para que não saia nada desagradável a seu respeito. Às vezes tem que sair. São um autêntico zero em valores e ideais, para além da aparência não contêm nada mais, pavoneando por aí o seu (pouco) conteúdo, à espera que alguém caia na ratoeira. 
Mas respeito isso, aliás, nada tenho a ver, desde que respeitem também o meu espaço. Peace and love!