sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Avança



O tictac incessante de um relógio que não pára.
O tempo flui. As horas passam. O vento leva.

A dor inconsciente de uma ferida que não sara.
O frio aquece. A luz escurece. Alguém que amara.

A luta ininterrupta pela mudança.
A rotina que corta, apaga, avança (...)



Num sopro de ar quente em que a vida balança,
longe das memórias de criança.

Rita f.

2 comentários:

Niqui disse...

É bem verdade , todos os dias parecem iguais . É como se já soubessemos aquilo que vamos fazer , e sabemos , é tudo sempre tão igual. A rotina sufoca-me :x

O teu texto está qualquer coisa de fantástico +.+

- Gabriela L disse...

O texto esta simplesmente lindo *.*