terça-feira, 5 de outubro de 2010

Sopro de luz


São memórias que ninguém apaga. Podem tentar pegar em corrector, darem voltas e voltas e fazerem esvoaçar tinta por cada canto, que cada letra que foi desenhada neste pequeno livro da vida não passará a ter a cor branca, nem tão pouco desaparecerá. Podem até riscar, vezes e vezes sem conta, as minhas palavras, que o seu sentido nunca deixará de ser o mesmo que é.

E são tantas as saudades, que às vezes os meus olhos apercebem-se de algo que não estava ali antes. Esse algo aparece bem de mansinho, embacia os olhos, tropeça nas pestanas e rola nas faces, escorrendo devagar até que venha um lenço de papel fofinho e suave tentar libertar-me das minhas angústias.
Cada alma neste mundo desempenha um papel único, e ninguém é substituído por ninguém. Simplesmente nada na vida funciona assim. Pelo menos para mim.

Avó! Onde quer que estejas, eu estou contigo.
Rita f.

7 comentários:

Isabel disse...

E ele contigo querida (':

Isabel disse...

Ora essa Rita (:
Um beijinho *

incógnita disse...

há memórias que ficam para sempre..

Alguém... disse...

ele está contigo sempre*

Bitaites disse...

As pessoas que mais gostamos vão se desaparecendo com o tempo das nossas vidas, mas no entanto nunca desapareceram do nosso coração por mais que o tempo passe.

Charles Parker é um grande senhor toca saxofone como ninguém. Pois o texto… saio-me assim, e como eu sinto-me mal com isto tudo. É o amor…

Isa Soraia disse...

Tão Bonito (:

Nuno disse...

Gostei muito maninha :')