sábado, 30 de janeiro de 2010

Hold

Ver como o tempo passa,
como as memórias vêm e vão,
como as horas nos escapam por entre os dedos,
agarrando a solidão.

Ver como a noite cai,
como leva consigo o que vem e vai,
num abraço mudo que nos corta o ar,
rodopio profundo d'uma onda do mar.


A rapidez da passagem, a fluidez da transição.
Tu, que escondes o teu mundo e não tens noção.
Guardando a cor da vida numa bolha de sabão.


Abraças-me, então?
O que não é agora,
será recordação (...)

Rita f.

3 comentários:

Ser oculto disse...

Tambem gosto bue do que escreves, e olha que escrever assim é bem mais dificil...
Mas no fundo, acima de meras palavras, os textos que escrevemos servem para partilhar sentimentos, expo-los por estarmos felizes ou tristes.. No fundo ajuda-nos a superar o que é mau ou a partilhar o que é bom, seja recordação ou o pedaço de tempo que passa por nós nesse instante.

Parabens,
Ser Oculto

Ser oculto disse...

Claro que nao me importo.. Olha, adicionei-te no hi5, espero que tambem nao te importes..

Edugp disse...

Estou a ver que não sou o único fã dos teus textos :b
Concordo com o Ser Oculto, "ajuda-nos a superar o que é mau ou a partilhar o que é bom" :)
Curti muito este texto. Não vou pôr-me a interpretá-lo porque não é o meu forte mas olha, se quiseres eu dou-te um abraço xD
Este texto está muito bom, conseguiu absorver-me :)